domingo, 23 de maio de 2010

sábado, 22 de maio de 2010

Oi pessoas.
Hoje não estou muito bem.
Até estava, mas agora meu humor despencou...

Estou aborrecida...São coisas que estão mais presentes no convívio das pessoas do que 51 em bar de esquina..
Não consigo compreender como o ser humano consegue ser tão falso.
Como as pessoas conseguem deixar de lado o que elas verdadeiramente sentem em função de seus interesses...

Não saber até onde confiar nas pessoas à nossa volta é bem pior do que saber que existem pessoas que não gostam de nós.
Eu sei que existem várias pessoas que não gostam de mim, outras já não me suportam, mas boa parte dessas pessoas todas eu sei quem são, e por isso não me misturo à elas e não confio nelas.

Mas existem pessoas que estão conosco, que muitas vezes nos mostram que podemos confiar nelas, porém, quando menos esperamos elas nos mostram sua verdadeira cara!
Nos mostram que estão conosco em nome de algum interesse, seja ele algo fixo ou momentâneo..

Isso é triste.
Mas o que fazer pra evitar isso?

Não faço idéia.

Me sinto presa a esse mundo sujo, recheado de gente invejosa, má, preconceituosa e  asquerosa.
Gostaria de encontrar pessoas livres disso tudo, ou pessoas que tentassem (como eu) se libertar dessa corja de gente covarde.
Pena que não é tão facil...

Que pena!

*Hoje (e sempre) eu tô sozinha...

"Hoje eu tô sozinha



E não aceito conselho


Vou pintar minhas unhas e meu cabelo de vermelho


Hoje eu tô sozinha


Não sei se me levo ou se me acompanho


Mas é que se eu perder, eu perco sozinha


Mas é que se eu ganhar


Aí é só eu que ganho






Hoje eu não vou falar mal nem bem de ninguém


Hoje eu não vou falar bem nem mal de ninguém






Logo agora que eu parei


Parei de te esperar


De enfeitar nosso barraco


De pendurar meus enfeites


De fazer o café fraco


Parei de pegar o carro correndo


De ligar só pra você


De entender sua família e te compreender


Hoje eu tô sozinha e tudo parece maior


Mas é melhor ficar sozinha que é pra não ficar pior"
 
 
Ana carolina - Hoje eu to sozinha

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Por hora, sem muito o que dizer..

Deixa de lado essa pobreza

De quem insiste em julgar e explicar


Não vou poder calar meu coração


E essa saudade vem mansinha


Querendo me avisar


Acho que a gente é que é feliz



Deixa que falem


Eles não sabem


Não falo pelos outros


Só falo por mim



Ninguém vai me dizer o que senti


Acho que a gente é que é feliz



Queria ter a carta natal do universo


E ver se entendia alguma coisa


O que espero da minha vida


O que quero da minha vida


Bom tempo


Muito tempo


Acho que a gente é que é feliz


Leila Pinheiro - Hoje

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Oiii fofoos!
Quanto teempo nao apareço por aqui..rs
Saudade de falar inultilidades..rsrs

Bom, pra variar, nao tenho novidades.
Amanhã é dia de confraternização na faculdade, (ou melhor, Choppada de Turismo, Uhuuu..rsrs).
Pessoas se arrumam, se enfeitam, se produzem, rebolam até o chão e bebem até cair a noite toda, e depois voltam bebados, lambuzados da bebida alheia, com a maquiagem derretida e felizes para suas casas, com suas mães preocupadas sobre estarem chegando pela manhã...hehehe..

É pessoas, são 00:20, tenho uma aula as 7 horas da manhã de logo mais, e uma prova pra lá de complicada logo após.

Então queridos, assim que puder e tiver algo interessante em mente, retorno para compartilhar...

Beijos e Queijos!
Fiquem com uma canção, como sempre!
Bom Inicio de Final de Semana!
Uhuuull!!..hehe

____________________

"O sol desbota as cores

O sol dá cor aos negros


O sol bate nos cheiros


O sol faz se deslocarem as sombras


A chuva cai sobre os telhados


Sobre as telhas


E dá sentido as goteiras


A chuva faz viverem as poças


E os negros recolhem as roupas


A música dos brancos é negra


A pele dos negros é negra


Os dentes dos negros são brancos


Os brancos são só brancos


Os negros são retintos


Os brancos têm culpa e castigo


E os negros têm os santos


Os negros na cozinha


Os brancos na sala


A valsa na camarinha


A salsa na senzala


A música dos brancos é negra


A pele dos negros é negra


Os dentes dos negros são brancos


Os brancos são só brancos


Os negros são azuis


Os brancos ficam vermelhos


E os negros não


Os negros ficam brancos de medo


Os negros são só negros


Os brancos são troianos


Os negros não são gregos


Os negros não são brancos


Os olhos dos negros são negros


Os olhos dos brancos podem ser negros


Os olhos, os zíperes, os pêlos


Os brancos, os negros e o desejo


A música dos brancos é negra


A pele dos negros é negra


Os dentes dos negros são brancos


A música dos brancos


A música dos pretos


A música da fala


A dança das ancas


O andar das mulatas


"O essa dona caminhando"


A música dos brancos é negra


A pele dos negros é negra


Os dentes dos negros são brancos


Lanço o meu olhar sobre o Brasil e não entendo nada"
 
 
Adriana Calcanhoto - Negros

quarta-feira, 12 de maio de 2010

O ontem no hoje..

Oii fofos!
Estou de volta depois de uns dias sem passar por aqui. Andei meio afastada por que, como deu pra reparar,eu tava meio pra baixo, dai decidi tudo melhorar pra vir escrever...


Bom, hoje é segunda feira. Dia de ter preguiça de ir pra aula, ainda mais que tá friozinho,entao bate aquela vontade de ficar deitado assistindo filme.rs
Mas, como a vida continua, frio ou nao,temos que ir a luta.


Bem,pessoas..Pra variar um pouco,estou sem disposição para me alongar,portanto, voltarei mais tarde.
Porem,deixo uma musica para o deleite de seus olhos..hehe..


Beijos e abraços!
=D

_____________________________________________________________


Esta foi a postagem que era pra ter sido postada ontem, mas esqueci de postar..abafa..rsrsrs.
E ai vai a musiquinha!
Beijos, queijos e abraços!
____________________________________________________________



"Havia um tempo em que eu vivia
 Um sentimento quase infantil

Havia o medo e a timidez

Todo um lado que você nunca viu


Agora eu vejo,

Aquele beijo era mesmo o fim

Era o começo

E o meu desejo se perdeu de mim



E agora eu ando correndo tanto

 Procurando aquele novo lugar

 Aquela festa o que me resta

 Encontrar alguém legal pra ficar


Agora eu vejo,

 Aquele beijo era mesmo o fim

E o meu desejo se perdeu de mim

E agora é tarde, acordo tarde 


 Do meu lado alguém que eu não conhecia 

Outra criança adulterada 

 Pelos anos que a pintura escondia

 Agora eu vejo,

Aquele beijo era o fim, 

Era o começo

E o meu desejo se perdeu de mim"

Renato Russo - A Cruz e a Espada

sexta-feira, 7 de maio de 2010

La Solitudine

Oi pessoas..
Não postei nada alem de música ontem por que estou meio cabisbaixa,como deu para perceber...
Coisas não estão dando muito certo.
Entoão prefiro dizer o que estou sentindo através de músicas que gosto muito.

...

"A solidão entre nós



Este silêncio dentro de mim


É uma inquietude para viver


A vida sem você


Eu lhe peço: espere-me, porque


Eu não posso estar sem você


Não é possível dividir a história de nós dois"

La Solitudine -Laura Pausini

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Vestido Estampado...

Acabou

Agora ta tudo acabado


Seu vestido estampado


Dei a quem pudesse servir


Agora que eu não posso mais caber em ti


Não quero te ver, dizem que você não quer mais me olhar


Como velhos desconhecidos se você não me escuta eu não vou te chamar


O amor que eu dei não foi o mesmo que eu vi acabar


O amor só mudou de cor, agora já ta desbotado


Corra lá vem à tristeza atirando pra todos os lados


Pegue o vestido estampado, guarde pro carnaval


Guarde que eu nunca te quis mal


Até o feriado quarta feira de cinzas e ta tudo acabado






Agora ta tudo acabado


Seu vestido estampado


Dei a quem pudesse servir


Agora que eu não posso mais caber em ti


Não quero te ver, dizem que você não quer mais me olhar


Como velhos desconhecidos se você não me escuta eu não vou te chamar


O amor que eu dei não foi o mesmo que eu vi acabar


O amor só mudou de cor, agora já ta desbotado


Corra lá vem à tristeza atirando pra todos os lados


Pegue o vestido estampado, guarde pro carnaval


Guarde que eu nunca te quis mal


Até o feriado quarta feira de cinzas e ta tudo acabado


Nada pra mim...Ana Carolina

Eu não vim aqui

 
Pra entender ou explicar


Nem pedir nada pra mim


Não quero nada pra mim


Eu vim pelo que sei


E pelo que sei






Você gosta de mim é por isso que eu vim


Eu não quero cantar


Pra ninguém a canção


Que eu fiz pra você






Que eu guardei pra você


Pra você não esquecer


Que eu tenho um coração


E é seu






Tudo mais que eu tenho


Tenho tempo de sobra


Tive voce na mão


E agora


Tenho só essa canção

Mais que isso...Ana Carolina

Eu não vou gostar de você porque sua cara é bonita

O amor é mais que isso


O amor talvez seja uma música que eu gostei e botei numa fita


Eu não vou gostar de você porque você acredita


O amor é mais que isso


O amor talvez seja uma coisa que até nem sei se precisa ser dita






Deixa de tolice, veja que eu estou aqui agora


inteiro, intenso, eterno, pronto pro momento e você cobra


Deixa de bobagem, é claro, certo e belo como eu quero


O corpo, a alma, a calma, o sonho, o gozo, a dor e agora pára






Será que é tão difícil aceitar o amor como é


E deixar que ele vá e nos leve pra todo lugar


Como aqui






Será melhor deixar essa nuvem passar


E você vai saber de onde vim, aonde vou


E que eu estou aqui



Músicas para um estado de espírito apaixonado...

Veja-me, não consigo me concentrar em nada,

 
Ando desligado e estou fazendo tudo errado.

 
Sou um desastre e não sei o que está acontecendo.

 
Gosto tremendamente de você, eu te desejo, você chega a me desesperar.

 
É tão grande o que sinto por ti que te ter não será o bastante.

 
O que é isto que me convida a viver, que me faz sonhar.

 
Qual será essa força que a todos une de dois em dois,

 
Será a força do coração...






Faz com que eu te abrace e os corpos cheguem a atrapalhar.


Tremo só com a idéia de tocar


Teus lábios cheios de beijos novos.


Não posso dormir, você rouba a minha tranqüilidade.


Alguém bordou seu corpo com fios da minha ansiedade.


De cinto suas pernas cruzadas, nas minhas costas um relógio


Onde seus dedos são os ponteiros e dão corda a este motor


Que é a força do coração.






E é a força que te leva, que te empurra e que te preenche,


Que te arrasta e te aproxima a Deus.


É um sentimento, quase uma obsessão,


Se a força é do coração


É algo que te complica, uma descarga de energia


Que vai te tirando a razão,


Te faz tropeçar, te cria confusão,


Com certeza é a força do coração,


É a força que te leva.






Não posso pensar, teria que me cuidar mais.


Como pouco, perco a vida e em seguida você me a devolve.


O que é que vai cegando ao amante, que vai por aí como soberano


E não passa de um menino travesso, provocador,


Será a força do coração...





E é a força que te leva, que te empurra e que te preenche,


Que te arrasta e te aproxima a Deus.






É um sentimento, quase uma obsessão,


Se a força é do coração


É algo que te complica, uma descarga de energia


Que vai te tirando a razão,


Te faz tropeçar, te cria confusão,


Com certeza é a força do coração.


La fuerza del corazón - Alejandro Sanz






Músicas para um estado de espírito triste...

Nosso amor era igual a uma tarde de abril

 
Que também é passageira como ser feliz

 
Pode ser e não foi, por ser a vida como é

 
Nos deu a volta do avesso

 
Você vê ? Você vê ?

 
Nosso amor era igual a uma manhã sem fim


Impossível também como não morrer

Deixou de ser ou será, porque o Diabo é como é


Brinca com você ao esconder


Você vê ? Você vê ?




E agora somos como dois estranhos que se vão, sem mais


Como dois estranhos mais, que vão ficando pra trás




Eu continuo estando apaixonado


E você continua sem saber se eu estive


E se te quis alguma vez


Você vê ? Você vê ?





Depois de termos voltado a nos ver alguma vez é sempre igual


Como dois estanhos que vão ficandopara trás





Este estranho se entregou


Até ser como as palmas de suas mãos





E você só tem atuado


Eu ainda sabendo que você mentia me calei


E me pergunta se te amei


Não vê ? Não vê ?





Eu que tinha adivinhado


E você continua sem saber se acabou


De uma vez me escuta:


Não vê ? Não vê ?

Olha nós aqui dizendo adeus

?Lo Ves? - Alejandro Sanz







Músicas para um estado de espírito solitário...

Existe uma criança que vive em mim

Lutando para te ter


E revive momentos


Já muito distantes


E me faz pensar


Confundindo a realidade


Me obrigando a escutar



Sua voz dizendo de longe


Como sinto saudades


Não posso mais


Por que se afasta ?






O que você custa a compreender


que ainda que seja parte do passado


Não vale a pena que afunde sua cabeça no meu suéter


O que eu custo a compreender


Que ainda que seja parte do passado


Me desespero porque eu tambem tenho sofrido


Que em este tempo sem nos vermos


Como tenho sentido sua falta






Me beija e afundo e sei


Que ninguém neste mundo entenderia


Que queremos voltar






Perdendo a cada instante um pouco mais


Lutando por te ter até o final


Continuo escutando de longe


Como sinto sua falta


Que força será


A que ainda nos une






O que você custa a compreender


que ainda que seja parte do passado


Não vale a pena que afunde sua cabeça no meu suéter


O que eu custo a compreender


Que ainda que seja parte do passado


Me desespero porque eu tambem tenho sofrido


Que em este tempo sem nos vermos


Como tenho sentido sua falta






Me beija e eu afundo e sei


Que ninguém neste mundo entenderia


Que queremos voltar






Me beija e eu afundo e sei


Que ninguém neste mundo entenderia


Que queremos voltar,"


Como te echo de menos - Alejandro Sanz

 

Músicas para um estado de espírito carente...

Queria ser o dono, do pacto de sua boca

 
Queria ser o verbo que invocas


A festa de sua voz


Você se perguntou alguma vez


De verdade, se sente o vento debaixo de sua roupa


Quando você se banha nua no mar


E acaricia teu corpo


Na festa de sua pele


Sente o sal, as ondas


Sente a areia, me dá pena






Queria ser o ar que escapa de seu riso


Queria ser o sangue que envolve tua vida


Queria ser o sonho que jamais compartilharia


O jardim de sua alegria, a festa de sua pele


São esses beijos que nem frio nem quente


Mas sim´, são de sua boca


Eu os quero também






Queria ser sincero, ser arrojado que te perder


Nesta frase só peço seu perdão


Porque não escrevo nada melhor


Eu não sei






Você me perguntou alguma vez, por perguntar


O que eu quero


Porque motivo o ar que julgaste desenhar o silêncio


Se na verdade eu entendo que nós nos queremos


E a noite como me dói desejar de longe, sentir o sal


As ondas, sentir a areia, me dá pena






Queria ser o ar que escapa de seu riso


Queria ser o sal, para curar tuas feridas


Queria ser o sangue que envolve tua vida


Queria ser o sonho que jamais compartilharia


O jardim de sua alegria, a festa de sua pele


São esses beijos que nem frio nem quente


Mas sim´, são de sua boca


Eu os quero também"


Quisiera ser - Alejandro Sanz

Músicas para um estado de espírito cabisbaixo....

 


Me conte, como vai caindo o sol

Enquanto fala pensarei


Que linda está, que sorte ser


A metade do conto de um entardecer


Que observo ao te escutar


Porque meus olhos são sua voz






Se aproxime, que quando estamos pele com pele


Minhas mãos te desenharão


Seu aroma me dirá sua idade


Junto de você, unidos sem saber porque


Certamente se me nota


O resplendor de uma ilusão


Porque a seu lado posso esquecer






Que pra mim sempre é de noite


Mas essa noite é como um entardecer


Se consegue que a vida me mostre


Seus olhos sejam os que brilhem


E a lua que o apague


Em minha eterna escuridão


O céu tem um nome: seu nome


O que eu não daria para te contemplar


Ainda que fosse só um instante






Faz frio, é tarde tem que voltar


Existe alguém que te espera, com certeza


Mais uma vez o tempo foi embora


Voltará, me diga se amanhã voltará


Como tem feito todo tarde


Para me contar como morre o dia






E se foi, ela se afastou dele


Mas como nas cartas


Dois pontos, pós escrito


Se me esquecia não me apresentei


Somente fui testemunha por casualidade


Até que de repente ele me perguntou


"- Era bonita não é verdade ?"


- Mas que a lua, eu disse


E ele sorriu






E já jamais se fará acusação


Por tentar amanhecer


Não voltará a se perder na noite


Porque tua alma hoje brilha com mais força


Que um milhão de sois


Mas em tua eterna escuridão


Às vezes se ouve as vozes


O que eu não daria para te comtemplar


Ainda que fosse um só instante






Por tentar amanhecer


Não voltará a se perder na noite


Porque hoje tua alma brilha com mais força


Que um milhão de sois


Mas tua eterna escuridão


Às vezes ouve as vozes


O que eu não daria para te comtemplar


Ainda que fosse um só instante


Te direi o que eu não daria para te comtemplar


Animada que fosse um só instante


Um só instante"


Siempre es de noche - Alejandro Sanz

Músicas para um estado de espírito perdido...

Às vezes me elevo, dou mil voltas

Às vezes me fecho atrás de portas abertas


Às vezes te conto o porquê deste silêncio


E é que às vezes sou seu e as vezes do vento


Às vezes de um fio e às vezes de um cento


E tem vezes, minha vida, te juro que penso:


Por que é tão díficil sentir como me sinto ?


Sentir como me sinto ! Que seja díficil






Às vezes te olho e as vejes te deixo


Me empresta tuas asas, revisa suas pegadas


Às vezes por tudo ainda que não me falhe


Às vezes sou teu e às vezes de niguém


Às vezes de juro de verdade que sinto


Não te dar a vida inteira, te dar somente esses momentos


Por que é tão díficil ?


Viver é somente isso, viver é somente isso


Por que é tão díficil ?






Quando ninguém me vê posso ser ou não ser


Quando ninguém me vê ponho o mundo do avesso


Quando ninguém me vê a pele não me impede


Quando ninguém me vê posso ser ou não ser


Quando ninguém me vê






Às vezes me elevo, dou mil voltas


Às vezes me fecho atrás de portas abertas


Às vezes de conto o porquê desse silêncio


E é que às vezes sou seu e as vezes do vento






Te escrevo dos centro da minha propria existencia


De onde nascem os desejos, a infinita essência


Tem coisas muito suas que eu não compreendo


E tem coisas muito minhas, mas é que eu não as vejo


Suponho que peso que eu não as tenho


Não tentendo minha vida, os versos se acendem


Que no escuro te posso, sinto muito, não acerto


Não acenda as luzes que tenho nus


A alma e o corpo






Quando ninguém me vê posso ser ou não ser


Quando ninguém me vê pareço a sua pele


Quando ninguém me vê eu penso nela também


Quando ninguém me vê posso ser ou não ser


Quando ninguém me vê posso ser ou não ser


Quando ninguém me vê a pele não me impede


Quando ninguém me vê a pele não me impede


Quando ninguém me vê posso ser ou não ser


Quando ninguém me vê






Às vezes me elevo, dou mil voltas


te fecho em meus olhos atrás de portas abertas


Às vezes te conto o porquê deste silêncio


E é que às vezes sou seu e as vezes...


Do vento






Às vezes do vento


E às vezes do tempo


Às vezes do vento

Cuando nadie me ve - Alejandro Sanz

Retrato de uma breve solidão....

"I've been up all night,



you've been putting up a fight


Seems like nothin' I say gets through.


How did this old bed fit a world between me and you


We said ‘Goodnight' but the silence was so thick


you could cut it with a knife.


We've hit the wall again and there's nothin' I can do





You're the one, yea,


I've put all my trust in your hands.


C'mon and look in my eyes,


here I am, here I am





You don't understand me, my baby,


You don't seem to know that I need you so much.


You don't understand me, my feelings,


the reason I'm breathin', my love





The mornin' comes and you're reachin' out for me


just like everything's the same


and I let myself believe things are gonna change


When you kiss my mouth and you hold my body close,


do you wonder who's inside?


Maybe there's no way we could feel each other's pain.


Tell me why it gets harder, to know where I stand.


I guess loneliness found a new friend, here I am



You don't understand me, my baby,


You don't seem to get me


You don't really see that I live for your touch


You don't understand me,


my dreams or the things I believe in, my love


You don't understand me.


You don't understand me.


Understand me."

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Coisas chatas da vida...

Oi fofos!

Hoje fiz duas provas. Chatinhas. Cheias de detalhes, questões com várias afirmativas que voce nao sabe onde está a falsa (ou a verdadeira).
Descreva isso.
Comente aquilo.
Exemplifique aquilo-outro.
Enfim...bem cansativo foi meu dia. Digamos, estressante, do ponto de vista intelectual..hehe

Mas entao.
Vim da faculdade louca para chegar em casa e esquecer que eu sou uma estudante e me afundar no mundo da preguiça e da arte-do- fazer- nada.  Prometi que tiraria o resto do dia pra ficar a toa. Relaxar e gozar...a vida..;)

Entao, estou eu aqui manuseando meu computador, sentada na sala, em frente à televisão, (desligada, pela falta de opção à esta hora da tarde) viajando e pensando em algum mais util e menos futil pra escrever, e daí presencio uma cena triste no cenário amoroso-relacionamental-comportamental humano: meus vizinhos brigando.

Caros amigos.
Sendo a pessoa sincera que sou, não poderia jamais deixar de admitir que fiquei um pouco curiosa ("um pouco? deixa de ser mentirosa,garota! Quem fica um pouco curioso com a briga/discussão de alguém? Ficou de butuca mesmo!") com a situação.
Então, em um primeiro momento, me deixei levar pela curiosidade.
Mas como a curiosidade matou o gato,ou não, pois no meu caso, não ouvi muita coisa e continuei curiosa.

Contudo, eu sou um ser humano. E, como ser humano,penso. E pensando,existo. (aff..)
Entao, eu, como ser humano, me entristecí com a situação deles.
Até por que eu vivo sempre essa situação. Todo mundo já viveu essa situação.
Afinal, quem nunca teve um arranca-rabo com o(a) namorado(a), amante, marido, mãe, pai, irmão (a) entre outros?

Enfim...com meu senso humanitario ativado, eu ví que as coisas nao sao dificeis apenas pra mim, dentro da minha casa, dentro do meu universo.
La fora tambem existem pessoas com problemas, pessoas que se desentendem, brigam, xingam, julgam, ignoram, debocham, magoam, se magoam e, finalmente, choram.
E que, instalado o programa da intolerância, a situação complica-se mais.
Um não tem coragem, vontade, disposição para pedir desculpas ao outro, por achar que o outro é quem deve pedir desculpar ao um.
E o caos se instala.

Muitas coisas na cabeça, muita coisa pra falar e pra fazer e pouca coragem.

Ai as pessoas ficam infelizes, transformam seu dia-a-dia em um tedioso jogo de quem-atinge-mais-e-melhor, e todo o convívio harmonioso e feliz se esvai como gelo fora do freezer.

É ai,minhas pessoas pacientes, (que a essa altura já deram alt + F4 nessa aba idiota) que deve entrar o remelexo nas cadeiras.
Ou o mais conhecido Jogo de Cintura.
Essa é uma expressão mais do que adequada para compor a artimanha que devemos usar no dia-a-dia para contornar muitas situações.
Mas não devemos apenas contornar, e sim,pintar tudo logo!


Enfim queridos e pacientes amigos, a vida é feita de um ventinho aqui, uma brisa de lá, um vendaval dali e um tornado bem no meio da gente. Mas o que temos que ter é prudencia e, muitas vezes, paciencia.
Nem tudo é da forma que a gente quer, mas podemos fazer as coisas ficarem melhores.
Exercitando a compreensão, o carinho, o amor, que são bases para esse enorme e dificil empreendimento que é o relacionamento humano.

Falei pra caramba como sempre. Sei que podia ter dito tudo isso em um só parágrafo, mas quis exercitar meus dedos digitando esse "testículo", como dizia um saudoso professor.

*E enquanto eu falava,falava e, na verdade digitava, meus vizinhos se entenderam de novo.

Que coisa linda é o amor!





Até, queridos!!!

Encantados!

Bom, para amenizar a ''revolta'' das palavras da postagem anterior, vou agraciá-los com algumas das poucas coisas mais valiosas da minha vida.

Sem palavras, só imagens...
























terça-feira, 4 de maio de 2010

"Minha revolta, do meu eu interior. . . "

Olá (de novo) fofos!
Estou eu aqui de volta.

Depois de algumas horas brigando com as contas e teorias macroeconômicas, resolvi relaxar um pouco. Afinal, estudar cansa. Principalmente quando a gente nao faz disso uma rotina e só se mata de estudar um dia antes da prova..rs

Amanhã já é quarta-feira. Logo acaba a semana.
O mês de maio vai chegando ao meio (maio, meio..rsrsrs)
O meio (de novo) do ano se aproxima.
O fim tambem (que drama!).

E o tempo vai passando cada vez mais rapido.
Vamos ficando velhos.
As pessoas que amamos tambem.

Algumas pesssoas evoluem.
Outras nem tanto.
Umas nem saem do lugar...
vivem sempre à margem, nunca inseridos.

As diferenças aumentam. As futilidades também.
A indiferença cresce mais ainda.

E a vida continua.
Nascem outras crianças,
filho da intolerancia, do descaso, do preconceito, da desigualdade, da insubordinação, da descrença, do medo, da incerteza, da fome, da doença, da incompreensão, do ódio, da vulgaridade, da acomodação, da falta de personalidade, da fúria, da libertinagem, da maldade, da excentricidade, da frieza, do jogo de interesses e de intenções...

Mas tambem nascem seres iluminados, plenos de bondade, pureza, amor, igualdade, paixão, humanidade, irmandade, serenidade; seres que perdoam, que ajudam, que amam o próximo tal qual ele é,que não miram  outro com olhos repletos de julgamentos e sim de palavras de compreensão, enfim,  livres das mazelas que desestruturam as sociedades desde sua existência . . .

Só precisamos encontrar essas pessoas....

Bom Dia!!

Olá fofos!
Bom Dia!
São 08:06 da manhã e eu estou aqui.
Desocupada? Sem sono?
Não exatamente..
Imprevistos com minha professora de espanhol a impossibilitaram de dar aula..
E estou eu aqui..

Amanha duas provas: Macro e Gestão.
Macro de quê e gestão de quê? Não importa.
São matérias de faculdade. Da faculdade de Turismo da Federal Fluminense.
Isso ai.
.
.
.

Ai ai..
Andei refletindo um dia desses e percebi que todos os dias conhecemos as pessoas.
Conhecemos novas pessoas e conhecemos as já conhecidas.
As vezes encontramos duas pessoas em uma pessoa só. Ou três, dependendo do que se leva em conta nessa '''análise''.

O que é engraçado é justamente isso. O quão diferente cada pessoa pode ser. A cada minuto. A cada dia.

As pessoas tendem a mudar suas atitudes de acordo com seus interesses. Ficam mais dóceis, mais enérgicas, mais úteis, mais fúteis.. Isso vai depender do interesse em questão.


.
.
.

Nossa...quanta besteira eu falei aqui né?
Desculpem-me pessoas. É que o sono dificulta o processamento das informações e das ideias.
Prometo que volto aqui depois e concluo essa minha baboseira diária.

Bom, pra compensar essa minha falta de jeito com as palavras, deixo-lhes uma imagem da natureza, elemento que eu mais me identifico e que mais gosto de fotografar..















(Ilha Grande, Rio de Janeiro)






Have a nice Day!

Kissesss!!!!!!!!!!!

domingo, 2 de maio de 2010

Mes moments....

devaneios... :D

Oi fofos!
Quanto tempo,não?rs
Saudades de passar por aqui.... :D


"Olhos nos seus olhos
diga o que voce
vê quando eles veem
que voce me vê.

Olho nos seus olhos
e o que eu posso ler?
que eles ficam melhores
quando eles me leem.

Eu leio as suas cartas
eu vejo a letra
Meu Deus, que homem forte
que me comtempla.

Sou sua mais nao posso ser.
Sou seu mais ninguem pode saber.
Amor, eu te proíbo de nao me querer.

Olhos nos seus olhos
e sinto que voce
faz eles brilharem
como o astro rei

Olhe nos meus olhos
e o que voce vai ver?
Seu rosto iluminando
a lua de um além.

Eu leio as suas asasa
borboletas
Meu Deus que linda imagem
me atormenta.
Sou seu, mas seu nao posso ser.
Sou sua, mas niguem pode saber.
Amor eu te proíbo de não me querer..."